4.3 C
Ponta Porã
quinta-feira, 19 de maio, 2022
InícioTião PradoArtigo: Falando e fazendo política, sempre com os amigos, por Tião Prado

Artigo: Falando e fazendo política, sempre com os amigos, por Tião Prado

A política é muito interessante e eu, Tião Prado, participo dela desde a década de 70 na pequena cidade de Batayporã, com Y mesmo, porque é como o povo de lá gosta.

Nossa família ajudava seu Alcides em suas campanhas. Meu pai emprestava os caminhões de tora para carregar os eleitores e lá íamos nós, seu Prado, dona Elisa e eu, Tiãozinho Prado com apenas 8 anos, nas reuniões do seu ‘Alcides’ e as vitórias foram várias. Nos anos setenta quem se colocava contra o ‘Véio Sola’ como os adversários o chamavam, levava ‘bucha’. Ganhou do Dr. Jamil, do Dr. Jessé e nem me lembro mais de quem. O amigo Alcides Sãovesso era imbatível no tal do voto e no dia a dia era pessoa muito especial e carismática. Eu adorava falar e estar com ele, que entre um cigarro e outro, falava de futebol e claro, política.

Nos campos da cidade vez ou outra a gente jogava junto com o Celsinho, filho mais novo do nosso prefeito. Menino de bom caráter e muito trabalhador e… jogava muito.

Fiz essa introdução para dizer que desde que cheguei em Amambai no dia 16 de abril de 1983 me meti nessa tal de política e em 1985 ao lado do Italino Bonamigo fundamos o PFL na cidade, aí veio o Zenóbio dos Santos, Gandhi Jamil, Nei Magalhães, Dilso Sperafico e mais 7 vereadores para a nossa bancada, Pedro Girardi, Macedônio Meira, Odorico Silveira dos Santos, Domingos Gregol Pucks,  Aral Moreira Maciel e Lazaro Fernandes.

Fomos para o processo eleitoral com Daniel Escobar para  prefeito e Pedro Girardi,  vice. Foi uma belíssima eleição e perdemos para o Dr. Geraldo Felipe  Corrêa do PMDB, partido este que estava na moda e ganhou a eleição em 25 estados.

Na eleição de 1989, o sonho de todos nós do PFL era conseguir ganhar as eleições e lá fomos nós, em um primeiro momento neste processo eleitoral,  foi  embate dentro do partido, pois o Odorico queria ser candidato a prefeito e o Zenóbio dos Santos, que foi deputado por dois mandatos, também queria ser candidato. Passamos em reunião das 18 horas de um dia até as 9 horas da manhã do outro dia.

Depois de um primeiro embate na casa de dona Orasilvia dos Santos, mãe do Zenóbio, fomos para o segundo encontro na casa do Odorico que era logo a frente. Ninguém queria abrir mão e sair de vice e isso foi a noite toda e eu lá, firme e forte, até que por volta das 8 horas do dia seguinte, o Zenóbio sem falar com ninguém pegou o seu carro e foi embora para Campo Grande. Zenóbio sempre achou que o partido tinha virado as costas para ele e consequentemente, todos do partido pensaram a mesma coisa dele.

Mas logo as coisas se ajeitaram, Odorico dos Santos saiu candidato a prefeito, o Zenóbio veio de Campo Grande junto com seu filho, Douglas, músico de primeira qualidade ; o Luis, banda Luazes, Castelo e Mansão, Nezinho do acordeom e Cleiton e Cristiane, Borginho e seu conjunto e eu na apresentação dos comícios e lá fomos para mais um campanha. Montamos um trio elétrico em cima do caminhão do Fanti, um Ford modelo novo e fazíamos comícios todos os dias, mas no final das contas não adiantou nada, veio a onda do momento….O ex-vereador Prego que havia sido cassado, era o candidato do PT, Partido dos Trabalhadores.

Os comícios do Prego era com uns oito bicos de luzes em 3 caibros tortos, um caminhão ¾  de palanque, o próprio Prego e mais uns 5 ou 6 seis apoiadores e umas 20 ou 30 pessoas aplaudindo tudo que o Prego falava e assim ele derrotou nós do PFL, a ARENA com Dejacir, Nestor, Rachid Derzi e shows de Chitãozingo e Xororó, Gretchen e tantas coisas mais que íamos lá assistir os comícios dos adversários porque era bom mesmo, mas que também não adiantou nada, também perderam para o Prego.

Anilson Rodrigues de Souza, o Prego, e Valdir Perius, de vice. A gestão foi ótima,  ótimo prefeito e um ótimo vice. O vice até trabalhava, foi Secretário de educação.

Prego era muito bem assessorado e tinha boas ideias. O duro era aguentar os petistas dando opinião, mas eles estavam certos, ajudaram a eleger o prefeito e foram 4 anos de muito tudo: eventos, esportes, obras, bons salários, até eu que apresentava os comícios do PFL fui para Secretaria de Esportes e lá fizemos inter-vilas em todas as vilas, jogos escolares, copa Morena de futsal,show na praça, enfim,  de tudo um pouco. Era um tempo de fazer  inveja a toda região, mas como tudo  na vida tem um tempo, esse tempo  acabou.

Foi tão boa a administração do Prego que ele foi eleito deputado estadual,  mas isso é uma outra história para se contar depois.

Na próxima semana vamos deles: Dirceu Lanzarini e Vilson Nunes.  Não é nome de dupla sertaneja, essa dupla foi tão boa que  virou até musica e administraram Amambai por 8 anos…semana que vem tem mais.

MAIS LIDAS