Leia Coluna JN por João Natalício

Coluna diversificada

04/12/2018 15h20 - DN

 

INCERTEZAS

Neste final do ano de 2018, fim de mandato dos Governos estaduais e do Governo Federal para o qual é também o fim de uma era, o povo brasileiro está vivendo um misto de incertezas e de muita esperança nos novos governantes. Na verdade, a administração do país está saindo das mãos e do poder da esquerda e passando para o comando e o poder do centro-direita.

  • A realidade é que o povo brasileiro de uma maneira geral está na maior expectativa e torcendo muito pelo sucesso dos novos governantes que, pelo jeito, devem mudar muita coisa neste país. Naturalmente que a oposição esquerdista está torcendo o nariz, mas aos poucos vai ter que se adaptar à nova realidade brasileira. É como dizia o saudoso João Barriga: "Não tem coré-coré nem balanga beiço", o papo agora é outro e não tem conversa.

  • Encerrando esse assunto, vamos lamentando o equívoco do Supremo Tribunal Federal estabelecendo o aumento dos seus próprios salários provocando um efeito cascata para todo o judiciário no país, com a total aprovação do Poder Legislativo e concordância do Presidente da República. Trata-se de uma ação de final de mandato que não deverá pegar bem, mas nada que possa comprometer o respeito da sociedade brasileira pelo Judiciário.

NOVO PRESIDENTE

  • Tudo isso logo, logo será esquecido pelo povo brasileiro que costuma ter memória curta. Principalmente quando a expectativa geral do momento é o novo Presidente da República que toma posse no dia 1º de janeiro e representa uma nova esperança de grandes mudanças no Brasil.

  • Felizmente parece que para Mato Grosso do Sul o novo Governo de Bolsonaro será muito bom. Para começar, ele já escolheu dois ministros aqui da terrinha: a deputada Tereza Cristina para o Ministério da Agricultura e Luiz Henrique Mandetta para o Ministério da Saúde, ambos filiados ao DEM, antigo partido de Jair Bolsonaro.

SIMPATIA

  • Muita gente tem perguntado o grande motivo pelo qual Jair Bolsonaro tem tanta simpatia por Mato Grosso do Sul. É muito simples. Primeiro, ele serviu o Exército na cidade de Nioaque e mais recentemente foi aqui no Estado que ele foi lembrado com mais frequência e fatos reais para candidato a Presidente da República. Foi numa fazenda no município de Sidrolândia que o seu nome apareceu em letras garrafais num caramanchão no meio do pasto. Assim: Bolsonaro Presidente.

  • A partir daí o seu nome apareceu escrito em cupins, árvores e cercas nas invernadas em várias regiões do Estado, no Pantanal e em outros lugares estratégicos e se espalhou por todo o país. Por tudo isso é que não custa a gente afirmar que foram os pecuaristas e os produtores rurais de uma maneira geral que verdadeiramente são os padrinhos da eleição do glorioso Jair Bolsonaro para Presidente da República. Querem mais? É só esperar.

  • Falar nisso, alguns dos ministros indicados por Bolsonaro não estão sabendo esperar e já começam a falar demais. Um deles foi o sul-mato-grossense Henrique Mandetta, futuro ministro da Saúde, que falou o que não estava combinado e levou um puxão de orelha do seu futuro chefe. Bem feito. Quem mandou ser abelhudo.

A VEZ DE MATO GROSSO DO SUL

  • Tudo indica que o nosso Estado estará com tudo no Governo de Jair Bolsonaro. Dois ministros: Tereza Cristina (DEM) no Ministério da Agricultura e Luiz Henrique Mandetta, também do DEM, no Ministério da Saúde. Segundo consta o médico campo-grandense é o maior entendido em SUS deste país, além de ser um grane amigo do presidente eleito.

  • Além disso, a nossa gloriosa senadora Simone Tebet (MDB) está cotadíssima para ser a próxima presidente do Senado da República, que segundo o saudoso ex-prefeito Aires Marques, que sempre estava lá visitando o chefe Rachid Derzi, "o Senado brasileiro é o lugar aqui na terra que mais se assemelha ao Paraíso Celestial".

SENADOR ELEITO

  • Falar em senado como coisa dos anjos, no final da semana passada o senador eleito Nelsinho Trad (PTB) visitou Ponta Porã para falar de política e agradecer o apoio aqui recebido durante a sua campanha eleitoral. Coincidência ou não, o Nelsinho começou aqui pela fronteira a sua campanha para o Senado e agora volta aqui para a terrinha para dar os primeiros passos para a sua provável campanha para o Governo do Estado em 2022. Por aqui sempre assessorado pelo vereador Agnaldo Miudinho que deve estar empolgado com a ideia.

  • Parabéns ao Palmeiras do Nivalcir e do Juarez Durex, pelo título de campeão do Brasileirão, merecidamente. Entre tantos times ruins, o menos ruim tem que ser campeão com os pés nas costas.

J. N. Oliveira

jndeoliveira@jnnoticiaspp.com.br

Envie seu Comentário