Poder Público

Denuncias que exigem explicações, se é que há alguma por José Alberto Vasconcellos

Membro da Academia Douradense de Letras. (josealbertovasco@Yahoo.com.br)

09/02/2019 06h50 - Divulgação (TP)

 

No jornal "O Progresso", edição de 25.01.19, "a vereadora DANIELA HALL denunciou no Ministério Público, a falta de remédios e atrasos na saúde." No corpo da denúncia, a vereadora esclareceu: "Dentre as principais reclamações está a falta de medicamentos, insumos e atraso no pagamento dos médicos, que estariam desde novembro, sem receber os salários, o que pode culminar com paralisações e greves na saúde."

Desfia a vereadora, no cumprimento da sua obrigação como representante da comunidade, outras tantas irregularidades que afetam o funcionamento daquele nosocômio (Hospital da Vida) inteiramente sob a responsabilidade do município de Dourados.

A vereadora LIA NOGUEIRA, na edição de 29.01.19, "…atende demandas de bairros". "Diante de vários pedidos a vereadora Lia Nogueira (PR) visitou, na sexta-feira (25), os bairros Jardim Florida e Altos doIndaiá. Ela pôde ouvir os moradores e encaminhar indicações à Prefeitura.

Entre as reivindicações encaminhadas ao Poder Público, está o serviço de tapa buracos, limpeza das vias, troca de lâmpadas, manutenção dos bueiros, bem como a roçada de terrenos baldios e cascalhamento das ruas do Bairro Altos do Indaiá."

No mesmo jornal, edição de 30.01.19, em MATEIRA DE PRIMEIRA PÁGINA, com destaque em letras garrafais: "CENTRO HOMEOPÁTICO (rua Monte Castelo) vira ponto de uso de drogas. Estrutura está desativada há quase dois anos por causa de uma reforma que não saiu do papel. A unidade foi fechada pela prefeitura com uma lista de 60 pessoas que eram atendidas por dia e mais de 12 mil pacientes cadastrados."

O PAM (Pronto Atendimento Médico), na rua Dr. Wanilton Finamore, na Cabeceira Alegre, está caindo aos pedaços, sobre ele muito já se falou e nada aconteceu, basta passar nas proximidades do prédio e já se nota o abandono daquela unidade destinada a atender a saúde, enquanto isso, a reforma da PRAÇA ANTONIO ALVES DUARTE vem patinhando: mudam os tapume e renovam-se as placas, insultando o Ten.. ANTONIO JOÃO RIBEIRO, que ali marca presença, com a sua estátua.

No jornal o Progresso, edição de 06.02.19, em MATÉRIA DE PRIMEIRA PÁGINA, com destaque: "Dourados arrecada R$l4,5 milhões da taxa de iluminação e só aplica 6,4%..." (o que corresponde, feito o cálculo, a R$928.000 (novecentos e vinte e oito mil reais), MENOS DE UM MILHÃO?!

E complementa: "Ministério público Estadual e Câmara de Vereadores investigam destino de RE13,5 milhões que não teriam sido aplicados no setor, como troca de lâmpadas, por exemplo. Do trevo da perimetral até o Aeroporto a escuridão predomina."

Voltando à denúncia da vereadora LIA NOGUEIRA que clama pela falta de cuidados da Prefeitura na área urbana, bom lembrar que ao tempo em que fomos vereador, aprovamos lei que determina aos proprietários de terrenos baldios na área urbana, que além da limpeza precisam edificar mureta ao seu redor, com altura de pelo menos, 0,60 centímetros, determinação que virou letra morta.

Tem-se, ainda, o problema das calçadas. Cada proprietário faz o que quer: uns deixam o mato crescer; outros depositam lixo, galhos e material de construção, obstruindo o passeio e dando bananas aos pedestres!

Impõe-se ao Secretário e aos funcionários da Secretaria de Serviços Urbanos, o conhecimento pleno da legislação a que são obrigados observar por exigência da função que exercem, e exigir o seu cumprimento pelos contribuintes, no que tange ao uso correto do imóvel e a limpeza e a manutenção das calçadas. Na área comercial, o uso dos espaços com mesas ou mercadorias nas calçadas, assim como o uso de aparelhos de som na porta das lojas.

Por seu lado a Agetran precisa, com presteza, recolocar as placas de trânsito caídas, pintar as lombadas transversais e tornar a mobilidade urbana segura, para os douradenses e os visitantes de outros municípios, que aqui vêm para suas compras e movimentar nosso comércio. Precisa ainda a Agetran, coibir o tráfego de caminhões que vêm demolindo as vias urbanas e apreender — sem apelação — as motocicletas dos engraçadinhos que desenvolvem 200 km/h na zona urbana, com um barulho que nem as avós deles agüentariam, se ainda vivas estivessem.

Lembramos que os douradenses esperam a reforma do AEROPORTO e a chegada da prometida ESTRADA DE FERRO. Quanto ao término do recapeamento iniciado no centro, o Governador dispõe de mais quatro anos para terminar. Ufa!

A administração municipal precisa mostrar aos contribuintes o que tem feito e onde estão aplicados os impostos cobrados. Não havendo explicação, impõe-se ao Ministério Público desvendar o mistério porque para os vereadores, o mistério é mistério mesmo!!!

06.01.2019 (4750) Membro da Academia Douradense de Letras.

(josealbertovasco@Yahoo.com.br)

Envie seu Comentário