Aparelhos Eletrônicos

iPhone 7 Plus e a terceira idade

Nos dias de hoje, viver constantemente ligado à tecnologia é normal, natural.

12/03/2019 12h10 - DN

 

Há muitas pessoas da terceira idade que se sentem excluídos quanto ao uso da tecnologia. O receio de não conseguir lidar com computador ou com celulares como o iPhone 7 Plus, faz com que o idoso se sinta longe dos mais jovens, criando uma brecha de gerações. Isso é absolutamente normal, tendo em conta que a tecnologia avança a passos agigantados, sem dar trégua para aqueles que desejam se informar e acompanhar aos mais novos. Mais, qual a diferença do iphone 7 para o 7 plus? qual a diferenciação do iphone 7 para o 7 plus

Nos dias de hoje, viver constantemente ligado à tecnologia é normal, natural. É impossível pensar numa vida longe de computadores, laptops, tablets. Menos ainda de celulares e smartphones como o iPhone 7 Plus! Porém os idosos se sentem excluídos por causa de não saber como usar esses aparelhos modernos para eles, fundamentais para os mais jovens.

A maioria dos aposentados sente que o novo vocabulário, aquele ligado às redes sociais, é como uma língua nova e de difícil compreensão. O manuseio dos celulares, por exemplo, pode até criar estresse por ter medo de não saber como usar. Pior ainda, por ter medo de quebrar o aparelho!

Usar o iPhone 7 Plus como qualquer dispositivo

Pessoas da terceira idade usam aparelhos tecnológicos com absoluta normalidade: uma televisão ou um equipamento de música. Isso eles conseguem manipular tranquilamente. Mas quando o assunto é um celular ou um computador, a historia muda.

As redes sociais são um mundo que eles desconhecem, mas que com certeza desejam aprender como funciona quando olham os filhos e netos se comunicarem através de fotos e mensagens.

Segundo estudos psicológicos, se uma pessoa passa a juventude e a fase madura sem usar com freqüência aparelhos como um computador ou um smartphone, dificilmente queira usar essa tecnologia quando alcança a terceira idade. Isso é absolutamente compreensível.

As crianças, adolescentes e jovens adultos que usam a tecnologia no dia a dia, sentem que isso faz parte da vida naturalmente. Hoje em dia uma criança consegue manipular um celular de uma forma absolutamente normal e segura, como se tivesse nascido com o aparelho nas mãos! Certamente não é necessário ensinar às crianças como usar um smartphone. Com o idoso é absolutamente ao contrário.

 

As mudanças podem assustar

O idoso sempre teve uma forma de vida tradicional; as mudanças tecnológicas da vida representam um problema que ele quer driblar. Um aparelho celular que carrega aplicativos como WhatsApp, Facebook e Skype é algo absolutamente incompreensível! Palavras como "tuit", "Gif" e "postar", por exemplo, não têm significado real nem lógico para ele. Essas expressões são a ‘modernidade que não conseguem acompanhar’.

Mas, com paciência, todo adulto da terceira idade conseguirá manobrar os aparelhos tecnológicos de uma forma tranqüila. Cabe aos mais jovens entender que, com calma, eles podem ensinar aos idosos a se relacionarem com a tecnologia sem medo, pois mesmo sendo idosos, não perderam a capacidade de aprender!

A paciência e a dedicação são fundamentais

Quando um idoso tem interesse em aprender, é necessário ajudá-lo, e isso deve ser feito com paciência, respeito e carinho. Pensar na possibilidade de um avô poder se comunicar com os netos através do WhatsApp, por exemplo, é maravilhoso! Isso certamente melhorará a sua qualidade de vida, porque se sentirão mais ativos, mais comunicativos, e isso é fundamental para a saúde mental.

Existem muitos benefícios para os idosos que usam smartphones:

  • O acesso a internet para adquirir informação, trocar mensagens, ver fotos, entre outras coisas, facilita a comunicação com a família e com amigos.

  • O uso de aparelhos eletrônicos permite um efeito social importante, tirando ao idoso do isolamento.

  • Conhecendo o uso do smartphone, o idoso poderá ter comunicação constante com a família e com amigos.

  • Aprendendo o uso de determinados aplicativos, poderá ler jornais, tirar fotos e até jogar jogos que beneficiarão a memória.

  • O aprendizado de uso de aparelhos eletrônicos melhora a auto-estima e a criatividade do idoso.

  • O uso de smartphones com a localização acesa, permitirá o conhecimento do local onde o idoso está, oferecendo tranqüilidade aos familiares.

  • Saber usar aparelhos eletrônicos permitirá que o idoso que mora sozinho se sinta acompanhado, sabendo que através desses aparelhos poderá se comunicar em qualquer momento.

Envie seu Comentário