Fronteira Segura,

Ministro diz que fronteira é prioridade, mas não detalha investimentos em MS

Ele participou do Fórum Permanente de Segurança na Fronteira, na Capital

20/07/2018 06h20 - Correio do Estado

 
Ministro participou de evento na UEMS, em Campo Grande - Foto: Álvaro Rezende / Correio do EstadoMinistro participou de evento na UEMS, em Campo Grande - Foto: Álvaro Rezende / Correio do Estado

Em passagem por Campo Grande para participação no Fórum Permanente de Segurança na Fronteira, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, alega prioridade do Governo Federal em relação às ações de combate ao crime organizado, mas não detalha como Mato Grosso do Sul deve ser beneficiado por esses investimentos. O evento foi realizado na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG) e pelo Senado Federal.

Com delegacias sucateadas e efetivo defasado das polícias Rodoviária Federal (PRF) e Federal (PF), o ministro aponta investimentos previstos. "Existem concursos para PRF e PF em que 500 novos agentes, delegados e peritos começarão. Do último ano para cá, o orçamento da PRF cresceu 60% e estamos prevendo investimentos de mais R$ 250 milhões para esse ano. Para a PF terá investimentos de mais R$ 200 milhões nesse ano", detalhou Jungmann, mas sem especificar estatísticas para Mato Grosso do Sul.

OPERAÇÃO

Ainda nesse mês deve ser deflagrada a Operação Fronteira Segura, em que Campo Grande será sede e administrará as ações nas fronteiras com o Paraguai e Bolívia.

De acordo com o ministro, serão 300 homens e mulheres da Força Nacional e da Polícia Federal que reforçarão as ações fronteiriças em Mato Grosso do Sul.

"Com esse número, dobraremos o efetivo da Polícia Federal na fronteira de Mato Grosso do Sul. Essa operação se estenderá até o mês de novembro desse ano, podendo ser prorrogada.

Envie seu Comentário