04/01/2015 13h

Os comunistas , para sustentarem-se, criam falsos mitos - José Vasconcellos.

“ZUMBI DOS PALMARES, último rei quilombola dos Palmares. General de armas durante o reinado de seu tio “GANGA ZUMBA

Divulgação (TP)
 
 
foto: arquivofoto: arquivo

ZUMBI, “Nome que no interior de Alagoas se dá a fantasma que, segundo a crença popular afro-brasileira, vagueia altas horas da noite”. (Dic.Melh.).ZÂMBI “Principal divindade do culto banto. Chefe de quilombo ou couto de escravos negros fugidos.” (op.cit.). As designações são equivalentes.

“Quilombo dos Palmares, povoado formado em Alagoas(séc. XVII) por escravos fugitivos de fazendas de várias partes do N.E. Tornou-se o mais notável por seu tamanho (aprox. 20.000 hab.) e por ter resistido por quase um século aos sucessivos ataques das forças governistas. Foi destruído em 1695 por Domingos Jorge Velho, após sangrento combate contra os quilombolas. Chefiados por ZUMBI (, os ex-escravos lutaram até a morte.” (Veja-Larousse).

O ataque decisivo aos Palmares realizou-se nos primeiros meses de 1694, resistindo os quilombolas com (...) armas de fogo e flexas, água fervente e brasas acesas, que lançavam das estacadas. Oliveira Lima deu aos Palmares o nome de Tróia Negra “o mais belo e heróico de todos os protestos dos escravos” (...) “acossados pela gente de Vieira de Melo cerca de 200 negros caem num precipício,ocorrência que deu origem à lenda do suicídio de ZÂMBI.” (...) “Entretanto, ensina Hélio Vianna, que, perseguidos os fugitivos, já no ano seguinte (1695) FOI ENCONTRADO O REFERIDO ZÂMBI, morto pela tropa comandada por André Furtado de Mendonça.”(Dic, Hist. Op.cit.).

“ZUMBI DOS PALMARES, último rei quilombola dos Palmares. General de armas durante o reinado de seu tio “GANGA ZUMBA, opõe-se à rendição assinada pelo rei (1678), tornando-se o principal suspeito de seu envenenamento, para suceder-lhe no trono. Sucedendo o tio, derrotou a primeira expedição governista liderada por Domingos Jorge Velho (1692). Foi finalmente vencido quando este retornou a Palmares à frente de uma tropa de 2.000 homens(1695). Recentemente elegeu-se o dia 20 de novembro, dia da morte de Zumbi, como sendo o “Dia da Consciência Negra.” (Veja-Larousse).

“ZUMBI DOS PALMARES (1655-1695). No século XX, o líder do maior quilombo do Brasil colonial foi elevado, pelo pensamento esquerdista, ao posto de herói da luta contra a escravidão e líder de uma suposta comunidade igualitária. Mas estudos recentes mostram que o Zumbi real pouco tinha a ver com sua versão idealizada.” . “... ele possuía

os próprios escravos e chefiava Palmares com rigor autoritário. No Brasil o esquerdismo submeteu a figura de Zumbi dos Palmares a um processo depurativo(...). O líder do quilombo do século XVII foi elevado a herói da luta contra a escravidão, embora a investigação histórica hoje mostre que ele era dono de escravos e controlava Palmares com mão de ferro.” ) (Veja, ed. 03.12.14, pág.121).

A “Consciência negra”, nada tem a ver com os comunistas que a exaltam, e muito menos com a personalidade de Zumbi. Lembremos que os comunistas têm a Sibéria e o ditador comunista Stalin, e como exemplo: “Gulag – sistema criado em 1919, os campos de trabalho forçado expandiram-se especialmente sob Stalin. Destinavam-se a diversas classes sociais ou nacionais acusadas de delitos contra-revolucionários. Instrumento de repressão em massa, o GULAG fornecia também mão-de-obra gratuita ao país, contribuindo para o desenvolvimento econômico da Rússia stalinista.”. (Veja-Larousse).

A militância esquerdista esquecendo-se dos milhões de inocentes que morreram desnutridos e congelados na Sibéria, desdobra-se para “santificar o Zumbi” que nada possui de humanitário que o glorifique. Os atos que praticava em detrimento dos quilombolas, registrados pela história, o condenam. Para comemorar, o “Dia da consciência negra” – sem a demagogia esquerdista – o sofrimento dos negros nas senzalas tem sim, que ser lembrado, com respeito e profundo sentimento pela injustiça e o despojamento humano praticado pela oligarquia rural, que os usou como máquinas agrícolas.

Dissimulando o rombo do “Petrolão” e escondendo a Sibéria, que dizimou milhões de russos no trabalho forçado gratuito, inventaram ZUMBI DOS PALMARES, que tinha seus próprios escravos, desdenhando o real sofrimento dos negros, que viveram todos os horrores que um ser humano pode suportar.

29.11.2014 (4360)Membro da Academia Douradense de Letras.

(josealbertovasco@yahoo.com.br).

Envie seu Comentário