23/04/2018 17h

Ponta Porã: Vander Loubet fala a respeito da paralisação da Aduana

Empresas da fronteira estão sofrendo com a paralização e muitas correm o risco de fechar as portas o que resultará em desemprego local

Por: Tião Prado
 
 

O deputado Federal Vander Loubet (PT), esteve visitando a cidade de Ponta Porã e foi entrevistado no Programa FM em Noticias que vai ao ar de segunda a sexta-feira pelas ondas da Rádio 91.5 FM Cerro Cora, da cidade de Pedro Juan Caballero, Paraguai. Durante a entrevista, o deputado foi questionado a respeito da greve dos servidores do setor de Aduana da Receita Federal e o que poderá fazer para ajudar os importadores, exportadores e despachantes Aduaneiros de fronteira.

"Eu fiquei indignado, não tem cabimento, acho legitimo o movimento dos servidores, de fazer a operação que a gente chama de ‘operação tartaruga’, mas não dá pra aceitar, faz dois anos que estão nessa condição", afirmou o deputado, lembrando ainda que antes, o movimento de greve era por quatro ou cinco dias, tempo considerado tolerável, porem, na fronteira Ponta Porã/Pedro Juan Caballero, o movimento já se estende por mais de 30 dias.

" Nós nos reunimos com os vereadores e uma comissão desse pessoal que está sendo prejudicado pelo movimento, eu e o deputado Zeca vamos articular toda bancada, pois esse é um movimento de bancada e não de partido, e vamos falar com o ministro Marun, porque ele é um ministro aqui do nosso estado, e vamos pra cima do chefe da Receita pra acertar essa situação e vamos mostrar a nossa indignação com essa situação" disse o deputado Vander.

Vander Loubet disse ser conhecedor que o movimento de greve dos servidores da Receita está diminuindo a balança comercial, os empregos, causando prejuízo para a cidade. "Tudo parado, empresas fechando, hoje tem empresa com 10 caminhões parado ali no pátio da Aduana até 30 dias parados, nós somos a favor do movimento, mas tem que ter discernimento. Estou sabendo que lá em Guaíra e Fóz do Iguaçu no Paraná a operação está acontecendo, mas é dois, três dias, agora os caras não podem fazer com que esse movimento arrebente a nossa economia", falou o deputado, lembrando ainda o momento em que a economia brasileira vive e a importância que as exportações tem no alavanque da economia gerando impostos, divisas. Vander lembrou que o pior de tudo é que essa situação acaba abrindo um precedente para o descaminho, sendo esse fator o pior para qualquer economia. "Enquanto deputado nós vamos tomar todas as providencias e vamos pra cima" disse Loubet.

Os empresários da fronteira informaram que vão continuar se mobilizando no sentido que esse movimento chegue ao final e a liberação das cargas voltem a sua normalidade, pois em dia normal, passa pela Aduana algo em torno de 50 a 70 caminhões dia. Como o movimento está muito devagar, vai levar alguns dias para que o movimento seja normalizado novamente.

O novo diretor da Receita Federal informou que esteve reunido com o novo Ministro da Fazenda Eduardo Guardia e falou a respeito do Decreto para acertar os vencimentos dos auditores da Receita Federal, mas voltou com o decreto embaixo do braço, uma vez que o novo ministro disse que ainda não era hora de falar a respeito desse projeto.

Pelo visto os auditores vão continuar com o movimento e os empresários da fronteira vão continuar tendo problemas com essa situação.

Envie seu Comentário