Melhor em Casa

Prefeitura de Ponta Porã amplia atendimento domiciliar de saúde

Equipe multiprofissional de assistência domiciliar leva atenção médica a pacientes acamados

13/06/2018 09h50 - Divulgação (AD)

A prefeitura de Ponta Porã, através da secretaria municipal de Saúde, tem ampliado o programa ´Melhor em Casa´, do Ministério da Saúde e que a administração do prefeito Hélio Peluffo passou a desenvolver em todas as unidades básicas de saúde (UBS) na zona urbana e rural, garantindo o atendimento domiciliar a pacientes com alguma dificuldade de locomoção.

O programa foi instituído em 2011 e foi integrado ao Programa SOS Emergências na Rede de Atenção às Urgências no âmbito do SUS. O secretário de Saúde, Dr. Patrick Derzi destaca a importância do programa desenvolvido em Ponta Porã, com equipes que levam atendimento de saúde aos domicílios cujos pacientes possuem alguma dificuldade de locomoção, efetuando a avaliação médica básica e providenciando o encaminhamento. A equipe é formada por um médico, enfermeiro, fisioterapeuta e técnico em enfermagem.

O secretário de Saúde explica que a atenção domiciliar é interpretada como nova modalidade de atenção à saúde, substitutiva ou complementar às já existentes, caracterizada por um conjunto de ações de promoção à saúde, prevenção e tratamento de doenças e reabilitação prestadas em domicílio, com garantia de continuidade de cuidados e integrada às redes de atenção à saúde (BRASIL, 2013).

A enfermeira Rejane Sacai explica que o atendimento é feito por duas turmas, uma no período matutino e outra vespertino em todas as regiões da cidade, fazendo acompanhamento de pacientes com dificuldades de locomoção. Ela explica que o EMAD é formado por uma equipe multiprofissional de assistência domiciliar com atenção a pacientes críticos, cujas famílias são cadastradas na rede pública de saúde.

O objetivo do Melhor em Casa é levar atendimento médico às casas de pessoas com necessidade de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos sem agravamento ou em situação pós-cirúrgica, evitando internações hospitalares desnecessárias e as filas dos serviços de urgência e emergência.

As equipes de cuidadores são formadas, prioritariamente, por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeuta. Outros profissionais como fonoaudiólogo, nutricionista, terapeuta ocupacional, odontólogo, psicólogo, assistente social e farmacêutico podem também compor as equipes de apoio.

O programa funciona durante toda a semana (de segunda a sexta-feira), 12 horas por dia e, podendo ser em regime de plantão nos finais de semana e feriados. Cada equipe atende em média, 60 pacientes, simultaneamente. Cada paciente recebe, normalmente, uma visita semanal. Entretanto, a freqüência pode ser definida conforme o estado clínico e avaliação do paciente.

Na realização do cadastro é exigida a indicação de um cuidador, que poderá ser ou não membro da família. O cuidador será a referência da família para as equipes do Melhor em Casa.

A presença do familiar/cuidador facilita novas formas de produção do cuidado e de interações com a equipe de saúde. Além disso, traz tensões ao disputar os planos de cuidados com a equipe, ao mesmo tempo em que contribui para o aprimoramento da produção do cuidado. Os profissionais cuidadores desenvolvem um conjunto de ações, incluindo o ensinamento de hábitos saudáveis de vida, como: alimentação balanceada, prática regular de atividades físicas, convivência social estimulante, atividade ocupacional prazerosa e mecanismos para reduzir o estresse.

Como benefícios do PMC destacam-se humanização da atenção; menor exposição à infecção hospitalar; maior conforto para o usuário e sua família; maior autonomia do cuidador e do paciente, diminuindo a necessidade e frequência de reinternações hospitalares; disponibilização de leitos para os usuários que necessitam de internação hospitalar.

Envie seu Comentário