16/04/2018 08h40

Erika Januza comemora final feliz de Raquel e Bruno em novela: 'Amor venceu'

Atriz aproveitou a noite de sábado (14) para curtir o último show da banda O Rappa. No evento, ela contou seus planos para o futuro: 'Quero fazer um curso de interpretação fora do país. Quero investir sem parar na minha profissão. Então até eu saber o que vou fazer, vou estudar. Estou pegando pesado nas aulas de canto. Quero fazer musicais também. Essa é uma outra meta'

Purepeople
 
 
'Eles mereceram. O amor vai vencer, e que bom! É sinal de que o racismo não venceu', disse Erika Januza © Divulgação, TV Globo'Eles mereceram. O amor vai vencer, e que bom! É sinal de que o racismo não venceu', disse Erika Januza
© Divulgação, TV Globo

Em "O Outro Lado do Paraíso", o preconceito de Nádia(Eliane Giardini) com Raquel (Erika Januza) colocou em risco o relacionamento e o amor da vida de seu filho, Bruno (Caio Paduan). Entretanto, um final feliz os espera na novela das 21h, é o que conta a intérprete da juíza ao Purepeople. "Eles mereceram. O amor vai vencer, e que bom! É sinal de que o racismo não venceu. Inclusive, também ser a redenção da Nádia. Ela chegou para falar, se desculpar, sem briga nem nada. Ela entendeu que as atitudes que ela tinha eram erradas", comemora.

Na noite deste sábado (14), Erika esteve presente último show da banda "O Rappa". No evento, ela exaltou sua trajetória pelo folhetim criado por Walcyr Carrasco, escritor e futuro padrinho do casamento de Camila Queiroz e Klebber Toledo. "Fui muito feliz a novela inteira. Desde as primeiras cenas até agora. Tudo que a trama me proporcionou, que ensinou, o que eu vivi como atriz. Acho que cresci muito como pessoa com esse personagem", disse. Eclética, no último final de semana a famosa investiu no seu melhor estilo para curtir apresentação da dupla sertanejo Henrique e Juliano.

Sobre seu crescimento pessoal, a artista destaca o "empoderamento no geral". "Entendi que podemos ser realmente quem quisermos. A Raquel era do quilombo, vivia do artesanato e através da educação virou juíza. Eu recebi um vídeo de uma menininha que queria ser juíza e foi recebida em um tribunal no interior. Essas coisas que provam que a novela pode inspirar, que representatividade importa. Estamos falando do racismo, mas também mostrando que podemos ser até juízes", declara ela, que afirmou solteirice após rumor de namoro com o diretor da Globo Frederic Kachar. Para concluir, Erika conta seus planos para o futuro: "Quero fazer um curso de interpretação fora do país. Quero investir sem parar na minha profissão. Então até eu saber o que vou fazer, vou estudar. Estou pegando pesado nas aulas de canto. Quero fazer musicais também. Essa é uma outra meta".

Envie seu Comentário