João Natalicio
João Natalicio

INFORME JN

VERDE E AMARELO

* Foi neste sábado, 15 de maio, a grande concentração em Brasília pelo movimento “Verde e Amarelo” composto por produtores rurais e pecuaristas de todo Brasil em apoio ao Governo do presidente Jair Messias Bolsonaro. Pelo visto, trata-se de uma movimentação destinada a bater de frente com a “CPI do Fuxico” comandada pelo Senado com o objetivo de salvar vidas, mas que na verdade a grande questão é promover o desgaste do presidente da República.

* Ordenada pelo Supremo e apoiada pelos partidos de esquerda e setores do Legislativo e Judiciário, essa “CPI do Fuxico” como é chamada pela população pró-Bolsonaro já tem montado um plano para vasculhar a vida do presidente da República, o que ele pensa, como age e o porquê das atitudes do presidente da República. Na verdade, trata-se de uma CPI política e com objetivos definidos que tem como relator um senador com mais de 30 processos nas costas.

* Resumindo tudo: se o grande objetivo é afastar o presidente Bolsonaro do poder, o tiro pode sair pela culatra. O seu governo está apoiado por muita gente forte, experiente e focada na verdade. E muito mais: grande parte da população ordeira deste país está ao seu lado. É só focar nos movimentos populares do dia 1º de maio que colocaram 1 milhão de pessoas na Avenida Paulista em São Paulo e milhares de trabalhadores por todo o Brasil.

* Não custa nada esperar para constatar o resultado do que aconteceu sábado, 15 de maio, em Brasília, comandado pelo movimento “Verde e Amarelo” formado por pecuaristas e produtores rurais de todo o país. Estou sabendo que Mato Grosso do Sul esteve presente em Brasília com grande caravana de Campo Grande, Dourados, Caarapó, Pantanal e de outras regiões do Estado. Pecuaristas de Ponta Porã e da fronteira estiveram também em Brasília levando até berrantes. O meu amigo Ney Magalhães, um dos incentivadores do movimento “Verde e Amarelo” no Estado está super animado.

CARAVANA

* Um amigo me perguntou se eu fui também a Brasília com a caravana “Verde e Amarelo” que sábado, 15 de maio, mostrou sua força lá na Capital da República. Eu até gostaria de estar lá para acompanhar o tamanho do furdunço e dar um alô de longe para o glorioso Bolsonaro que estava sem máscara e muito feliz com o apoio que recebeu dos homens do campo. Primeiro porque eu não sou pecuarista e segundo, que desse setor, eu só entendo das costelas assadas que eu saboreio lá na fazenda do meu amigo Aureovaldo do Amaral e do bife de filé mignon que a minha prestimosa esposa Izolina prepara de vez em quando.

* Pandemias à parte, tudo faz crer que essa CPI do Fuxico que o Senado do nosso senador Nelsinho Trad está impondo à nação por determinação do STF não vai dar em nada e nem prender ninguém porque até agora os argumentos dos delatores respondendo a perguntas dos membros da Comissão, da oposição, não incrimina o presidente da República não havendo motivo algum para qualquer condenação. Apesar da clara disposição do relator e de alguns membros da CPI encontrar algum gancho para apontar algum crime da autoridade maior deste país, a ponto de torná-lo inelegível nas eleições de 2022. Na verdade esse seria o grande objetivo dessa CPI enganosa que teria sido criada para salvar vidas.

JORNAL IMPRESSO

* O secretário de Segurança do Município, vereador licenciado Marcelino Nunes de Oliveira, dias atrás, destacou a importância do jornal impresso como fonte segura de informação, exaltando o nosso trabalho através do Jornal de Notícias, o único jornal impresso da fronteira. Caso aquele “garoto da Vila Áurea”, segundo a previsão deste jornalista lá no passado, chegar a prefeito a população de Ponta Porã não deverá se arrepender.

* Com relação ao futuro do Jornal de Notícias, apesar dos problemas e muitas dificuldades, jamais deixará de acompanhar o progresso de Ponta Porã. Nossa luta será constante porque acreditamos no desenvolvimento desta fronteira e confiamos que nunca nos faltará o apoio das empresas e leitores da Princesinha dos Ervais, bem como dos seus governantes. Deus é fiel!

J. N. Oliveira[email protected]

Comentários